Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Porque devemos lutar?



(do livro “Ele Veio pra Libertar os Cativos”, de Rebecca Brown)
.
A pergunta que muitos me fazem é: “Por que devemos lutar?” São muitos os cristãos que hoje vivem no extremo conforto e é claro que não querem ver esse conforto perturbado. Dizem: “Por que devemos lutar?” Cristo não teve a completa vitória na cruz por nós? Então, porque deveriam os cristãos pensarem em se tornar soldados e guerreiros? Tudo o que devemos fazer é reivindicar a vitória que Jesus venceu.” É este o assunto que desejo tratar aqui. Vejamos, primeiro, o que o próprio Jesus falou sobre esse assunto quanto estava na terra. Particularmente, não penso que haja fonte melhor:

“Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada. Pois vim causar divisão entre o homem e seu pai; entre a filha e sua mãe e entre a nora e sua sogra. Assim os inimigos do homem serão os da sua própria casa. Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim; e quem não toma a sua cruz, e vem após mim, não é digno de mim. Quem acha a sua vida, perdê-la-á; quem, todavia, perde a vida por minha causa, achá-la-á” (Mateus 10.34-39).

Reflita sobre o verso 34: “Não penseis, que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada”. Isto, contraria diretamente, o “evangelho de paz e amor” que está sendo largamente difundido, quando, no verso 39, Jesus disse: “Quem acha a sua vida, perdê-la-á; e quem, todavia, perde a vida por minha causa achá-la-á”. O cristianismo, envolve violência, se o praticarmos da maneira que Deus quer. A perda de nossas vidas não significa coexistência pacífica com o mundo.

“Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas. E acautelai-vos dos homens; porque vos entregarão aos tribunais e vos açoitarão nas suas sinagogas; por minha causa sereis levados à presença de governadores e de reis, para lhes servir de testemunho, a eles e aos gentios. E, quando vos entregarem, não cuideis em como, ou o que haveis de falar, porque naquela hora vos será concedido o que haveis de dizer; visto que não sois vós os que falais, mas o Espírito de vosso Pai é quem fala em vós. Um irmão entregará à morte outro irmão, e o pai ao filho; filhos haverá que se levantarão contra os progenitores, e os matarão. Sereis odiados de todos por causa do meu nome; aquele, porém, que perseverar até ao fim, esse será salvo. Quando, porém, vos perseguirem numa cidade, fugi para a outra; porque em verdade vos digo que não acabareis de percorrer as cidades de Israel, até que venha o filho do homem. O discípulo não está acima do seu mestre, nem o servo acima do seu senhor.
(Mateus 10.16-24).

Devemos “permanecer até o fim”. Jesus, certamente, não nos promete “uma corrida fácil” como muitos pensam.

“Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e, sim, contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.” (Efésios 6.12).

Neste versículo, Paulo enfatiza que a nossa luta é no mundo espiritual. Em Mateus 10.16-24 Jesus fala do mundo físico e das perseguições físicas. Paulo, aqui em Efésios, enfatiza o mundo espiritual. Os dois estão ligados, entretanto, em nossos dias e em nosso país, a perseguição não se faz intensa em muitas áreas. Mas, não tenho dúvidas de que ela virá em breve. Enquanto isso, a nossa batalha se dá no campo espiritual.
.
[...]
.
Porque devemos lutar? A resposta óbvia é: porque Deus assim o quer. Muitos perguntam: Por que Deus quer que lutemos quando Ele já lutou por nós? Naturalmente, que eu mesma, também, me faço essa pergunta. Por que tenho sofrido e perdido tanto por estar nesta batalha? Seria isso necessário? Quero, a seguir, compartilhar a resposta que me foi dada pelo Senhor à essa pergunta. A razão básica é porque fiz um compromisso. Você compreende que, infelizmente, quando o Evangelho é pregado em nossos dias, o que se ouve é: “Jesus morreu pelos seus pecados, peça-o para perdoá-los e tudo será maravilhoso.” Nada é dito que para ter seus pecados perdoados você terá que se comprometer com Ele. Durante muitos anos tem sido pregado que a salvação é a única saída. Jesus faz tudo e você não precisa fazer nada.

Isto não é verdade. Não foi o que Jesus disse. As palavras d’Ele foram que se você não tomar a sua cruz, negar a si mesmo e, quem sabe, até mesmo morrer por causa da fé n’Ele, você não será digno d’Ele. Ele disse que quem recebe a salvação é aquele que permanece fiel até o fim. Ele não fez promessa alguma de dar a salvação e a vida eterna àqueles que desistirem. Este conceito é sustentado diversas vezes por Paulo no livro de Hebreus.

“Cristo, porém, como Filho, sobre a sua casa; a qual casa somos nós, se guardarmos firmes até ao fim a ousadia e a exultação da esperança.” (Hebreus 3-6).
.
[...]
.
Compromisso não é só “trabalho”. É um contrato que implica, literalmente, na venda de si mesmo. Paulo diz em Romanos que é um devedor (Romanos 1.14). Do mesmo modo que Cristo comprou Paulo, Ele nos comprou. A salvação é uma venda, uma transação. O compromisso não é uma tarefa, é, realmente, uma venda. Jesus comprou e pagou por nós, de outra maneira pertenceríamos a Satã e iríamos diretamente para o inferno. O único escape foi através da venda. Que terrível preço Jesus pagou por nós!
Não estou segura de que algumas pessoas entendam isso. A proporção dos ataques satânicos parece depender diretamente do quanto estamos nesta venda, isto é, do nível do nosso compromisso com o Senhor.

O evangelho não está sendo apresentado da maneira como deveria ser. Quantas vezes você já ouviu o seguinte? “Você pode receber a salvação, mas somente sob uma condição: que esteja totalmente comprometido com Cristo, integralmente vendido a Ele. Não pertencerá mais a si mesmo e não mais terá o direito a coisa alguma. Você se tornará um servo. Estará na verdade assinando a própria morte porque Satã o odeia e tentará matá-lo. Terá que abrir mão de sua vida aqui para receber a vida eterna e a cidadania no céu.” Quantos pregadores você conhece que apresenta o evangelho dessa maneira? Nenhum!
Por que será que Satanás e o mundo odeiam tanto a Jesus? A resposta é que uma vez tendo Ele vindo, eles “...agora não têm desculpa do seu pecado”.

“O julgamento é este: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque suas obras eram más.” (João 319).

Eu declaro a você que a cruz é um instrumento de morte. Ela não só se refere às lutas aqui, mas significa, literalmente, nossa morte. Então, o que exatamente é esta morte? No meu caso, em particular, significa que quando fiz o meu compromisso com Deus, também comprometi tudo o que me diz respeito à Ele. Isto é, todas as coisas foram entregues em suas mãos. Sei que desde o exato momento em que fiz a entrega, Satanás poderá pedir, como no caso de Jó, e Deus poderá entregar-lhe essas coisas. Para mim, morrer diariamente significa a perda de tudo o que amo sobre a face da terra. É claro que Deus não exige isso de todos, porque a maioria das pessoas não estão dispostas a este tipo de comprometimento, não estão dispostas a tomar a cruz.
Uma vez comprados por Cristo, nos tornamos estrangeiros no mundo. Jesus se torna a barreira entre nós e tudo o mais na terra. Nada, aqui, nos pertence, e isto é terrível, pois a cruz é, provavelmente, o mais doloroso método de morte. O que implica em comprometer-nos à uma vida de dor ao tomar a cruz diariamente, lista não é a maneira em que as pessoas desejam apresentar o evangelho, entretanto, é assim que Jesus o apresenta. Deixe-me esclarecer algo: você não pode fazer o trabalho da cruz, só quem pode é Deus. Em outras palavras, as pessoas que infligem sobre si mesmas a dor, pensando que estão no caminho da cruz, enganam-se completamente. O fato, é que somos servos, simplesmente obedecemos aos comandos do Mestre. Não decidimos que tipo de sofrimentos devemos suportar.

[...]
.
Deus chama a diferentes pessoas para diferentes tipos de serviço. Contudo, todos seremos um dia atacados terrivelmente, por Satanás, e quando esse dia chegar, será preciso que estejamos preparados e firmes para a luta. Se o fizermos, permanecendo fiéis até o fim, o Senhor Jesus nos dará a coroa da vida e teremos a indescritível bênção de ver Deus como realmente Ele é, em toda a Sua glória.

“Então ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis, o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras cousas passaram.” (Apocalipse 21.3-4).
_____________________________________________________________________________________________________

Fim do texto. É grande, mas é de suma importância que leiam.

4 comentários:

joao carlos simoes disse...

JESUS CRISTO ,e o unico caminho para chegar ate DEUS ,vamos lutar,vamos, resistir pois no fim sera gloriosa a vitoria com a coroa da vida eterna ,louvado seja DEUS em nome do senhor JESUS CRISTO

joao carlos simoes disse...

Jesus e o unico caminho para se chegar a DEUS

Anônimo disse...

Obedecer jesus,mas não seguir todo vento de doutrina.

Anônimo disse...

então não viva fugindo da verdade(por qualquer trauma que seja).

Postar um comentário

Comentarios que desrespeitem alguem não serão aceitos.